Número total de visualizações de página

14.4.10

Proclamação da República (Educ Media)

José Relvas Proclamando a República na C.M. de Lisboa

«Cidadãos!

Depois desta noite de intensa peleja, começo por vos agradecer e vos saudar fraternalmente, em nome do Partido Republicano Português, pela vitória retumbante que alcançámos! Apesar da escuridão em que decorreu esta luta, os corações revoltosos foram sempre iluminados pela esperança da liberdade, a única luz ao fundo da caverna tenebrosa de que hoje saímos triunfalmente.

No seu interior, decorreu toda a História da nossa Nação, uma história que aliou a vontade e o valor de muitos, ao parasitismo insolente daqueles que, julgando pairar sobre a realidade humana, se entregaram a vanglórias imerecidas, na elaboração de projectos faraónicos constantes, desprezando a própria existência de um povo que, na pobreza e na ignorância, definhava aos seus pés. Foram precisos séculos para chegarmos aqui, a este dia em que nos libertamos finalmente deste regime de ignomínia, de arrogância e de tirania.

Companheiros! No reino de Portugal os valores da responsabilidade cívica, da determinação e da audácia são ensinados à plebe, mas preteridos pelos próprios chefes. De facto, há muitos outros valores a falar mais alto: o património, a imagem, o estatuto. E estes bem perduraram até hoje, mas quando confrontados com os ventos da revolta, mostraram-se frágeis e rapidamente se desmoronaram. E, de hoje em diante, não mais se ergueram dentro das nossas fronteiras!
Amigos! No reino de Portugal a Lei é de estatura baixa - daí que não alcance a varanda de um palacete, nem suba as escadas de uma abadia, nem chegue às janelas de uma casa brasonada – mas tem altura para atormentar o povo, que no labor do dia-a-dia, anda pelas ruas rasas das cidades e dos campos. Mas de hoje em diante, a Lei estará por toda a parte, vertical e não inclinada; absoluta e não relativa; instrumento de união e nunca de segregação.

No reino de Portugal, a grei é mordoma do Estado. De hoje em diante, porém, a mesma grei será Senhora absoluta, e o Estado vergar-se-á para a servir.

No reino de Portugal, todos trabalham para a ascensão de alguns. De hoje em diante, cada um esforçar-se-á para glória comum.

Companheiros! A Monarquia já mostrou bem aquilo que quer do nosso país: uma coutada em que damas e fidalgos brinquem todo o dia à caça e à guerra, sustentados por nós, milhões de servos agrilhoados. É por isso que nesta manhã de Outono, resolvemos transformar o idílio de uns, na realidade de todos.

Meus irmãos! Somos os fundadores de uma Hora nova e, com ela, uma nova Nação! Hoje, Portugal afirmou que quer dar o salto. O salto do reino do opróbrio em que vivíamos, para uma Pátria em que a todos e à mulher é concedida a dignidade de um cidadão. O grande salto da carruagem decadente da Monarquia para o comboio veloz da República, alimentado com o carvão da Democracia e sobre os carris firmes da Liberdade.

Neste novo país, não há nenhum rei que não seja cada um de nós. Juntos, sentar-nos-emos no trono da Igualdade, gritando alto ao mundo que a nobreza não está na cor do sangue, mas no tamanho do coração.

Viva Portugal! Viva a República!»

Texto da autoria de Xavier Rodrigues, aluno do 12º ano, turma B, da Escola Secundária c/ 3º CEB Dr. Joaquim de Carvalho da Figueira da Foz



Tarefa a realizar:


a) A partir da proclamação de José Relvas reflecte sobre os valores republicanos anunciados por este líder político, no dia 5 de Outubro de 1910, na varanda da Câmara Municipal de Lisboa.


b) Identifica duas das críticas referenciadas por este político ao regime monárquico deposto.

8 comentários:

Anónimo disse...

Valores republicanos
1- Os valores republicanos que José relvas mencionou na proclamação da república foram: responsabilidade cívica, a liberdade, e o cumprimento de leis, mas há outros valores como por exemplo: o património, a valorização da mulher, e o bem-estar que o Estado deve proporcionar às pessoas.
2- As críticas referenciadas por José relvas ao regime monárquico foram que: a monarquia permitia que poucos tivessem uma vida à base de luxo e a maioria do povo tinha uma vida de miséria, e outra crítica que José Relvas fez foi que a monarquia já tinha demonstrado o que queria de Portugal, era uma” reserva em que damas e fidalgos se divertiam todo o dia na caça e na guerra sustentados pelo povo.

Ana Rita 9ºA

Anónimo disse...

Os valores republicanos anunciados por este líder político no dia 5 de Outubro de 1910 são:
 Responsabilidade cívica;
 Liberdade;
 A igualdade de todos perante a lei;
 Todos têm os mesmos direitos;
 Resolvemos transformar o idílio de uns, na realidade de todos;
 Cada um esforçar-se-á para a glória comum;
 Património;
 Igualdade da mulher.
As duas das críticas referenciadas por este político ao regime monárquico deposto são;
 “Foram precisos séculos para chegarmos aqui, a este dia em que nos libertamos finalmente deste regime de ignomínia, de arrogância e de tirania”;
 “ O salto do reino do opróbrio em que vivíamos, para uma Pátria em que a todos e à mulher é concedida a dignidade de um cidadão”.

Trabalho realizado por:
Gonçalo Pires Nº5 9ºA
Carlos Mendes Nº3 9ºA
Pedro Mateus Nº12 9ºA

Anónimo disse...

Trabalho

A)Os valores Republicanos que José Relvas proclamou são a igualdade dos cidadãos, a responsabilidade cívica, a liberdade, mas respeitando a lei, o património e a democracia. E com isto ele conseguiu que os cidadãos ficassem mais próximos da república.

B) Ele critica o regime democrático quando diz:” A Monarquia já mostrou bem aquilo que quer do nosso país: uma coutada em que damas e fidalgos brinquem todo o dia à caça e à guerra, sustentados por nós, milhões de servos agrilhoados.” E quando diz ” uma história que aliou a vontade e o valor de muitos, ao parasitismo insolente daqueles que, julgando pairar sobre a realidade humana, se entregaram a vanglórias imerecidas, na elaboração de projectos faraónicos constantes, desprezando a própria existência de um povo que, na pobreza e na ignorância, definhava aos seus pés.

Inês Pinho Nº6 9ºA

Cátia disse...

a)A partir do momento em que a Republica foi instaurada em Portugal, trouxe consigo novos valores, que são: a responsabilidade civica, a igualdade perante a lei e a liberdade de cada cidadão. Também a mulher é vista com maior dignidade perante a sociedade e o Estado passou a servir ás pessoas. A partir desde momento, cada cidadão trabalha para a sua glória comum mas nunca prejudicando os valores dos outros.
Mas estas ideias ainda não conseguiram ser alcançadas, fazendo desta sociedade republicana uma sociedade melhor.

b)José Relvas criticou a monarquia dizendo que era um regime de ignominio, de arrogância e de tirania e também criticou dizendo que a nobreza " damos e fidalgos só nse dedicavam ás folias, jogoa todo o dia.

Cátia
Joana
Patricia

Mariana Alves disse...

1- Os valores republicanos que este líder político anunciou no dia 5 de Outubro de 1910 foram:
a igualdade de todos perante a lei, a responsabilidade cívica, a emancipação da mulher e o bem-estar proporcionado para todos os cidadãos pelo Estado.

2- José Relvas criticou a Monarquia dizendo que esta tinha como mordomo o povo ("a grei é mordoma do Estado") e que enquanto os mais ricos tinham uma vida de luxo e de prazer, os mais pobres levavam uma vida de miséria e trabalho constante, o que os levava "a morrer lentamente" ("um povo que, na pobreza e na ignorância, definhava aos seus pés."

Mariana Alves, nº10, 9ºA

Anónimo disse...

No dia 5 De Outubro de 1910, na varanda da Camara Municipal de Lisboa, o líder político José Relvas anunciou à população os seguintes valores republicanos: a responsabilidade cívica, a igualdade da mulher, o respeito pelas diferenças, o civismo, o respeito pelos direitos e deveres dos trabalhadores, não esquecendo que há muitos outros valores que também devem ser considerados: o património, a imagem e o estatuto, sendo estes valores já implantados pela monarquia.
O José Relvas também referenciou algumas críticas feitas ao regime monárquico, como por exemplo: a monarquia explorava o dinheiro ao povo, digamos que esse mesmo era usado para brincarem às guerras e à caça, e para satisfazerem os “seus caprichos”, a outra crítica que José Relvas faz é que a monarquia era a imagem da ignomínia, da arrogância e tirania.




Texto elaborado por Jéssica Caetano 9ºA Nº7

Cátia disse...

Os valores da Republica anunciados por este líder republicano são: a igualdade perante a lei, a liberdade e a responsabilidade cívica.
Este líder política fez várias críticas ao regime monárquico no qual se diz que o regime monárquico foi um regime de ignomínia, de arrogância, de tirania e de as dama e os fidalgos que brincavam todo o dia à caça e à guerra e quem os sustentava era o povo.

Beatriz Isaías Nº2 9ºA

Benela disse...

O texto da reconstituição da proclamção da Républica,elaborado pelo nosso aluno Xavier Rodrigues e declamado por outro aluno, Rui Liceia do 11º E ( José Relvas), foi a abertura das XII Jornadas Culturais da Escola Secundáriac/ 3º CEB Dr. Joaquim de Carvalho no dia 25 de março de 2010.
A dramatização ocorreu na varanda do Palácio Sotto Maior na Figueira da Foz e contou com vários alunos e professores vestidos à época.