Número total de visualizações de página

24.11.08

A Revolução dos Sovietes

Consulta o ficheiro em anexo e revê alguns dos aspectos mais relevantes, associados ao estudo da Revolução Soviética.
Revolução de Outubro: o momento em que Lenine chega ao poder com o apoio dos sovietes.



28.5.08

Portugal: Do Autoritarismo à Democracia

PORTUGAL: DO AUTORITARISMO À DEMOCRACIA

O fim da 2ª Guerra Mundial e a derrota dos regimes autoritários não se reflectiu em Portugal, embora Salazar tenha simulado uma certa abertura do regime.

Situação Económica

O nosso país revelava um atraso profundo ao nível das suas estruturas produtivas:

Uma falta de investimento nas infra-estruturas produtivas;
Estruturas industriais arcaicas;
Uma agricultura a atravessar uma profunda crise:
Grande propriedade (latifúndios);
Proprietários absentistas e que não investem na modernização das propriedades;
Mão-de-obra pouco especializada.

Situação Social

População com péssimas condições de vida;

Salários baixos;
Analfabeta. Forte Emigração


Situação Política

Regime recusa a democratização:
Impõe a censura, a repressão, prisões políticas;
Não legaliza a oposição;
Promessa de eleições livres não cumprida (fraudes eleitorais).

1949 - A oposição democrática une-se à volta da candidatura do general Norton de Matos.

1959 - A oposição mobiliza-se no apoio à candidatura do general Humberto Delgado.


Situação Colonial

A recusa em aceitar a descolonização leva ao início da guerra colonial em Angola (1961), Guiné (1963), Moçambique (1964).
Esta guerra desbaratou recursos materiais e financeiros elevados e teve custos humanos que deixaram marcas de grande descontentamento na população portuguesa.
O problema colonial, sem solução militar, provocou o descontentamento de um sector dos militares (capitães e outros oficiais) e levou à criação do MFA e, consequentemente, ao 25 de Abril.

12.5.08

21.4.08

O Muro de Berlim; Muro da Vergonha


O Muro de Berlim (Berliner Mauer em alemão) foi uma realidade e um símbolo da divisão da Alemanha em dois países diferentes: a República Federal da Alemanha (RFA) e a República Democrática Alemã (RDA). Este muro, além de dividir a cidade de Berlim ao meio, simbolizava a divisão do mundo em dois blocos ou partes:

* Berlim Ocidental (RFA), que era constituído pelos países capitalistas encabeçados pelos Estados Unidos da América;

* Berlim Oriental (RDA), constituído pelos países socialistas simpatizantes do regime soviético.


Construído na madrugada de 13 de Agosto de 1961, dele faziam parte 66,5 km de gradeamento metálico, 302 torres de observação, 127 redes metálicas electrificadas com alarme e 255 pistas de corrida para ferozes cães de guarda.

Este muro provocou a morte a 80 pessoas identificadas, 112 ficaram feridas e milhares aprisionadas nas diversas tentativas de o atravessar.

O Muro de Berlim caiu no dia 9 de Novembro de 1989, acto inicial da reunificação das duas Alemanhas, que formaram finalmente a República Federal da Alemanha, acabando também a divisão do mundo em dois blocos. Muitos apontam este momento também como o fim da Guerra Fria.

In Wikipédia


Conhece algumas das histórias associadas à tentativa de transposição do Muro de Berlim.
http://www.dw-world.de/dw/article/0,2144,2063310,00.html

14.4.08

Reconstrução da Europa e Política de Blocos

A Europa, profundamente arruinada e endividada depois da 2ª Guerra Mundial, foi alvo por parte dos Estados Unidos, de um plano para a sua recuperação: O Plano Marshall. Este visava ajudar a recuperar a economia europeia, reforçar o papel dos EUA como superpotência e evitar o avanço do comunismo.
A URSS recusou aderir a este plano e convenceu os países da Europa de Leste a fazerem o mesmo. Em contrapartida criou com estes países de Leste, o COMECON.
A Europa passava a estar profundamente dividida em dois blocos que procuravam desenvolver-se e cooperar economicamente, militarmente e politicamente.
Esta profunda divisão que se estendeu ao resto do mundo, criou uma situação de grande e permanente tensão militar, ideológica e diplomática que ficou conhecida por Guerra Fria.


9.4.08

Quadro Síntese sobre a 2ª Guerra Mundial


A 2ª GRANDE GUERRA MUNDIAL
Antecedentes
· Fracasso da SDN
· A Grande Depressão dos Anos 30
· O aparecimento dos regimes ditatoriais
· O sentimento de humilhação dos alemães face ao Tratado de Versalhes
· O militarismo e expansionismo dos regimes fascista e nazi
Eclosão do conflito
· A luta pela posse de Danzing (território polaco)
· A Polónia não cede à pressão alemã
· A Alemanha invade a Polónia
· A França e a Inglaterra declaram guerra à Alemanha
Fases da 2ª Grande Guerra
· 1ª fase (1940/1941) – Guerra-relâmpago (Blitzkrieg).
· 2ª fase (1942-1943) – Guerra total [mundialização da guerra].
· 3ª fase (1944-1945) – Vitória dos Aliados.
Consequências humanas
· Genocídio do povo judeu
· Cerca de 60 milhões de vítimas
· Destruição de cidades, indústrias e vias de comunicação.
Consequências políticas
· Formação de duas grandes áreas de influência:
· URSS – [BLOCO DE LESTE]
· EUA – [BLOCO OCIDENTAL]
· Julgamento dos autores dos crimes de guerra [Tribunal de Nuremberga]
· Formação da ONU
Adaptado do manual Cadernos de História 9, Areal Editores

30.3.08

A IIª Guerra Mundial - O Desenvolvimento do Conflito (1)

A 2ª Guerra Mundial surgiu em consequência da política expansionista agressiva da Alemanha Nazi, da Itália e do Japão. Estes três países assinaram um pacto militar que formou uma aliança designada por Eixo.
Pelos meios envolvidos, pela duração e pela violência dos combates, tornou-se o mais mortífero de todos os conflitos.

Para saber mais sobre o conflito consulta o link:




=====================


O Expansionismo Alemão







Hitler saudado no Reichstag após a anexação da Áustria(Março 1938)


O objectivo da política alemã é a defesa e a segurança da comuni­dade racial germânica e a sua multiplicação. Precisamos, por­tanto, de espaço. Apenas através da força podemos resolver este problema. Todavia, a violência implica riscos. As guerras de Fre­derico o Grande, da Prússia, e as guerras de Bismarck contra a Áus­tria e a França foram arriscadas. Aceite o princípio do uso da for­ça, impõe-se responder a duas questões: "Quando?" e "Como?". O rearmamento do exército, da marinha e da força aérea está praticamente concluído. Trata-se de equipamento moderno e efi­ciente. Se esperarmos muito tem­po, arriscamo-nos a ser ultrapas­sados. Por outro lado, o mundo aguarda o nosso ataque e refor­ça as suas defesas, de dia para dia. Enquanto eles constroem as suas barricadas, atacaremos.

Hitler, Declaração aos chefes militares alemães, em 1937

15.1.08

Webquest sobre o tema Modernismo nas Artes

Para realizarem a tarefa que vos proponho devem consultar o link abaixo apresentado.
Cada um dos grupos formados devem comunicar para o mail gouveiajm@gmail.com a seguinte informação:
Elementos constituintes do grupo
Reflexão sobre a obra escolhida.

Novidades: 12 - Fev. - 2008
Indicação do endereço do Blog (logo que criado).
PRAZOS: Início do trabalho 16 Janeiro
Data limite para publicação no blog: 28 de Janeiro

Orientações para o trabalho: http://gouveiajm.googlepages.com/webquests9ºano

6.1.08

Sociedade e cultura num mundo em mudança


Os inícios do século XX mais não foram que a continuação de um século XIX onde o optimismo face ao progresso material, os valores morais e sociais de uma burguesia triunfante imperaram.
A Iª Guerra Mundial, a Rev. Soviética e o crescimento económico originam um certo nivelamento dos modos de vida e marcam o início de um movimento de viragem em todos os campos: cultural, político e social e na formação de uma nova mentalidade, mais aberta e inovadora, responsável por comportamentos até aí impensáveis.
As Classes Médias (médicos, professores, engenheiros, arquitectos, comerciantes, homens de leis, guarda-livros...) adquirem um peso e influência crescente nesta sociedade e vão estar na base das principais transformações políticas e culturais:

a) Novos valores morais e sociais;
b) O prazer e a boémia ganham significado (aumentam os locais de convívio);
c) A mulher luta pela sua afirmação através do trabalho fora de casa, do direito ao voto;
d) A Moda (mais leve e desportiva) e a Música (Jazz) reflectem os novos gostos.

Surge uma Cultura de Massas (1) associada ao desenvolvimento tecnológico e ao crescente aumento dos tempos livres.
· A Imprensa, a Rádio, o Cinema, revistas foram os veículos dessa cultura destinada ao grande público.
· O Desporto tornou-se, igualmente, uma manifestação de massas.

Verifica-se um significativo progresso das Ciências Exactas.
a) A discussão sobre os limites de validade das ciências assume um papel importante na reflexão.
b) A ciência faz a sua auto-crítica.
c) A teoria da Relatividade desenvolvida por Einstein vai mostrar a existência de factos experimentais contraditórios com os princípios formulados pela ciência, desde Newton.
d) Outros cientistas defendem que em certos campos não é possível alcançar um conhecimento exacto mas apenas probabilistico (Max Planck).

No campo das Ciências Sociais e Humanas, igualmente se verificam inovações.
a) A Psicologia, com FREUD, defende que a razão não controla totalmente as nossas acções. Os impulsos inconscientes são responsáveis por grande parte dos nossos comportamentos. Por outro lado existem valores morais que provocam recalcamentos e reprimem o indivíduo.
A tomada de consciência destes vai permitir a alteração no comportamento social que deve ser mais livre dos constrangimentos morais.
A descoberta da existência de uma vasta área do nosso psiquismo que não se manifesta de forma consciente vai ser valorizado do ponto de vista cultural pelas tendências artísticas e literárias da época.


RUPTURA E INOVAÇÃO NAS ARTES

Vive-se, nos primeiros anos do século XX, um período de aparecimento de movimentos artísticos, inovadores, que vão contra a norma, contra as “Escolas” que ditavam os gostos, os temas e as técnicas da arte.
Os novos artistas apresentam experiências diversificadas, marcadas por um corte com a tradição;
Revelam uma certa agressividade e irreverência na utilização das formas e da cor.
Na pintura, o cubismo, o abstraccionismo, o surrealismo e o futurismo (pretendia retratar a civilização industrial, o movimento da vida moderna) foram as correntes que mais se impuseram. (Picasso, Bracque, Salvador Dali, Amadeo de Sousa Cardoso, Almada Negreiros, Santa Rita) foram alguns dos seus artistas.
Na arquitectura, a adaptação dos edifícios à função para a qual se destinam e a utilização de novos materiais, fruto da nova sociedade industrial, são as características mais marcantes. (Funcionalismo arquitectónico)
A literatura revelou autores e estilos inovadores que se debruçam sobre a intimidade humana, sobre os sentimentos das pessoas. (Modernismo). (Fernando Pessoa, Mário de Sá Carneiro, )
_________________________________

(1) Cultura de massas – É um produto da indústria cultural e resulta do aumento da produção, dos tempos livres e dos rendimentos familiares. Estas mudanças traduziram-se num consumo em larga escala, nomeadamente de produtos culturais.
A cultura de massas é frequentemente associada a uma cultura de imagens, a diversão é a principal característica positiva associada à cultura de massas. Esta cultura é resultado de técnicos e artistas, formados em escolas de artes, que concebem produtos destinados a explorar os desejos de consumidores anónimos.
A Sociedade de consumo recebeu entusiasticamente as novas estéticas determinadas pela televisão, cinema, audiovisuais, artes plásticas e a comunicação social, sob a grande proposta do nivelamento cultural.
Chama-se cultura de massa toda cultura produzida para a população em geral — independentemente de heterogeneidades sociais, étnicas, etárias, sexuais ou psicológicas — e veiculada pelos meios de comunicação de massa. Enfim, cultura de massa, é toda manifestação cultural produzida para o conjunto das camadas mais numerosas da população; o povo, o grande público.
RESPONDE AS SEGUINTES QUESTÕES:
1 - Explica a que se deve a cada vez maior importância das Classes Médias.
2 - Explica em que consiste a Cultura de Massas e quais os meios de divulgação dessa cultura.

Realizações e Dificuldades da Iª República

Iª REPÚBLICA

"O que a República tem hoje realizado não pode ser de molde nenhum a entusiasmar as massas operárias. (...)
Não nos parece que as mais exaltadas leis da República, como a do divórcio e a das greves, tenham para o operariado grande valor real e benéfico. (...)
Se o operariado, só por meio da greve, que para ele representa um sacrifício, tem conquistado algumas, na maior das partes parciais e ilusórias regalias (...) perguntamos:
- Quem tem ganho com a República?"
Do jornal o Sindicalista, cit. por César Oliveira em O Operariado e a República Democrática, Lisboa, Ed. Seara Nova
Principais Realizações
A implantação da República trouxe um amplo programa de reformas para o país:

Políticas:
§ Democracia parlamentar (supremacia do parlamento [poder legislativo] sobre o poder executivo).
§ Separação do Estado/Igrejas (registo civil, fim das ordens religiosas).

Económicas:
§ Medidas de equilíbrio das despesas públicas.
§ Fomento da economia.

Sociais:
§ Leis da família (divórcio, casamento civil, igualdade da mulher…).
§ Leis do Trabalho (direito à greve, protecção na doença).

Educativas:
§ Redução do analfabetismo (grande prioridade destes governos).
§ Ensino primário gratuito e obrigatório 7-10 anos.
§ Reforma do ensino técnico.
§ Reforma do ensino superior.
Desenvolvimento noutros campos da cultura: bibliotecas públicas, música, museus, etc.

Principais Dificuldades

Económico-financeiras:
As medidas de desenvolvimento implementadas foram de muito difícil concretização e não produziram os efeitos desejados.

Políticas:
§ Viveu-se um período de elevada instabilidade política (em 15 anos tivemos 45 governos).
§ Aumento da oposição à República
Sociais:
§ Grande descontentamento social devido às dificuldades económicas da população (inflação elevada, escassez de alimentos, participação na Iª Guerra Mundial). Os mais afectados foram as Classes Médias.

Queda da Iª República

§ Incapacidade dos governos em superar os problemas do país.
§ Descontentamento geral da população
§ Golpes militares (1917 – Sidónio Pais; 1926 – Gomes da Costa [derruba a República e instaura uma Ditadura Militar 1926-1932]).