Número total de visualizações de página

27.10.07

A mundialização da Grande Guerra

"A mundialização da Grande Guerra"

Por que é que um conflito armado no Sudeste da Europa envolveu o Mundo? A primeira razão é que o sistema europeu de alianças podia converter um conflito locaIizado numa guerra geral europeia. Em 1879, a Alemanha e a Áustria-Hungria haviam constituído a Aliança Dual; em 1893-94, a França e a Rússia tinham-se aliado, e por isso um conflito militar entre a Áustria e a Rússia podia transformar-se num conflito russo-alemão, que por sua vez se convertia num conflito franco-alemão, provocando a invasão da Bélgica, o que garantia a entrada da Inglaterra na guerra. Assim, quando foi declarada a guerra entre a Áustria e a Sérvia, a 28 de Julho, e a Rússia mobilizou os seus exércitos, estalou urna guerra geral. Um sistema de alianças concebido para dissuadir as potências europeias da guerra acabou por contribuir para que se precipitasse urna guerra mundial. Em segundo lugar, uma guerra europeia transformou-se numa guerra mundial porque foi travada entre potências imperiais, capazes de reunir a mão-de-obra e os recursos das colónias e dependências em todo o mundo. Os Senegaleses juntaram-se aos Franceses; um exército indiano esteve com os Britânicos na Mesopotâmia e na frente ocidental. Quanto à Alemanha, as tropas da África Oriental alemã obrigaram os soldados britânicos e africanos a perseguições constantes e incertas. Portugal juntou-se aos Aliados, em parte para defender ou aumentar o seu império africano. Em Agosto de 1914, o Japão apropriou-se das antigas possessões alemãs na Otina. Os Aliados pressionaram formalmente a China para que entrasse na guerra, o que se verificou em 14 de Agosto de 1917. Depois de os Estados Unidos se juntarem aos Aliados, em Abril de 1917, a diplomada norte-americana arrastou para o conflito os seus Estados satélites da América Central: 24 horas depois de os Estados Unidos entrarem na guerra, o Panamá e Cuba seguiam-nos. Mais tarde, juntaram-se-lhes o Brasil, a Guatemala, a Nicarágua, a Costa Rica, o Haiti e as Honduras. Por outro lado, várias colónias e dependências eram povoadas por imigrantes europeus, e assim muitos canadianos, australianos e neo-zelandeses estavam na realidade a defender o seu país - a Grã-Bretanha. Os laços familiares anglo-americanos eram também muito fortes.Em terceiro lugar, o conflito tomou-se mundial porque os interesses económicos das principais potências espalhavam-se por todo o globo. A Grã-Bretanha construíra no fim do século XIX uma vasta rede de comércio internacional, o que se revelou ser simultaneamente a sua força e o seu ponto vulnerável contra o qual se empenharam os submarinos alemães, mas em vão. O bloqueio do Reino Unido à Alemanha foi mais bem sucedido ao conseguir dificultar seriamente a chegada de fornecimentos vitais.
Fonte: História do Século XX, A I Guerra Mundial 1914-1918, vol. 2, Pub. Alfa.

Experiência de aprendizagem:
1. Tratamento de informação/utilização de fontes

1.1. Lê e analisa o documento escrito.
1.2. Redige um texto em que, partindo do documento, justifiques a mundialização da Grande Guerra.

Actividade retirada do sítio http://www.netprof.pt