Número total de visualizações de página

25.9.12

TPC: Evolução da dívida portuguesa na 2ª metade do século XIX.

Analisa o gráfico e responde às seguintes questões:

a) Justifica o crescimento da dívida pública portuguesa expressa no gráfico.

O gráfico relativo à evolução da dívida pública portuguesa entre 1851 e 1891, corresponde ao período da Regeneração durante o qual, devido à estabilidade política em que se vivia, o governos reuniu condições para lançar um ambicioso programa de desenvolvimento e modernização do país, especialmente ao nível das vias de comunicação e transportes. Este plano foi concebido e orientado pelo ministro Fontes Pereira de Melo e para a sua concretização houve a necessidade de recorrer a empréstimos no estrangeiro (Inglaterra e França) uma vez que Portugal não possuía os recursos necessários.
Estes avultados investimentos, tal como o gráfico nos mostra claramente, fizeram aumentar a dívida pública portuguesa obrigando a recorrer a cada vez mais empréstimos, inclusivamente, para pagar os juros de empréstimos anteriores. Para conseguir as verbas necessárias os governos viram-se na necessidade de aumentar os impostos.

b) Compara a situação retratada com a realidade atual do nosso país.

A situação descrita na resposta anterior pode ser comparada à realidade portuguesa atual pois o Estado para construir auto-estradas, e outros grandes investimentos públicos recorreu a elevados empréstimos junto de bancos estrangeiros e junto dos privados. O nível elevado das dívidas contraidas faz com que Portugal tenha dificuldades no pagamento dos juros pois Portugal não produz riqueza suficiente para pagar as suas obrigações.
Pedir ajuda ao estrangeiro e aumentar os impostos e reduzir as garantias aos portugueses tem sido a solução para cumprir com os nossos compromissos, embora à custa do bem estar do povo português.
Parece que a história se repete e que os portugueses, sobretudo os nossos governantes, não aprenderam com os maus exemplos do passado.
Quem paga?

3 comentários:

Anónimo disse...

a) A crise de XIX foi uma crise financeira porque as finanças do Estado
e o sistema bancário entraram em colapso. Depois, esta crise financeira
tornou-se imediatamente uma crise económica, porque provocou uma estagnação
do crescimento da riqueza.

hugo tavares

filipe caetano disse...

1--> pois neta época portugal precisava de dinheiro para investir mas não tinha por isso teve de pedir ao estrangeiro assim as contas foram aumentando
2-->a situação e igual pois portugal não e auto sustenta-vel por ainda pede dinheiro ao estrangeiro e não consegue pagar suas dividas por isso o tempo em que acontece o começo da divida portuguesa na
historia são iguais

jm stile disse...

O que o gráfico representa é graças a empréstimos de outros países para pagar as dividas e os juros dos empréstimos , faziam se novos empréstimos , o que contribuía para aumentar a divida externa .

Produzimos menos que consumimos , pedimos demasiado emprestado e faltamos com os nossos compromissos .

joao costa