Número total de visualizações de página

27.10.07

A mundialização da Grande Guerra

"A mundialização da Grande Guerra"

Por que é que um conflito armado no Sudeste da Europa envolveu o Mundo? A primeira razão é que o sistema europeu de alianças podia converter um conflito locaIizado numa guerra geral europeia. Em 1879, a Alemanha e a Áustria-Hungria haviam constituído a Aliança Dual; em 1893-94, a França e a Rússia tinham-se aliado, e por isso um conflito militar entre a Áustria e a Rússia podia transformar-se num conflito russo-alemão, que por sua vez se convertia num conflito franco-alemão, provocando a invasão da Bélgica, o que garantia a entrada da Inglaterra na guerra. Assim, quando foi declarada a guerra entre a Áustria e a Sérvia, a 28 de Julho, e a Rússia mobilizou os seus exércitos, estalou urna guerra geral. Um sistema de alianças concebido para dissuadir as potências europeias da guerra acabou por contribuir para que se precipitasse urna guerra mundial. Em segundo lugar, uma guerra europeia transformou-se numa guerra mundial porque foi travada entre potências imperiais, capazes de reunir a mão-de-obra e os recursos das colónias e dependências em todo o mundo. Os Senegaleses juntaram-se aos Franceses; um exército indiano esteve com os Britânicos na Mesopotâmia e na frente ocidental. Quanto à Alemanha, as tropas da África Oriental alemã obrigaram os soldados britânicos e africanos a perseguições constantes e incertas. Portugal juntou-se aos Aliados, em parte para defender ou aumentar o seu império africano. Em Agosto de 1914, o Japão apropriou-se das antigas possessões alemãs na Otina. Os Aliados pressionaram formalmente a China para que entrasse na guerra, o que se verificou em 14 de Agosto de 1917. Depois de os Estados Unidos se juntarem aos Aliados, em Abril de 1917, a diplomada norte-americana arrastou para o conflito os seus Estados satélites da América Central: 24 horas depois de os Estados Unidos entrarem na guerra, o Panamá e Cuba seguiam-nos. Mais tarde, juntaram-se-lhes o Brasil, a Guatemala, a Nicarágua, a Costa Rica, o Haiti e as Honduras. Por outro lado, várias colónias e dependências eram povoadas por imigrantes europeus, e assim muitos canadianos, australianos e neo-zelandeses estavam na realidade a defender o seu país - a Grã-Bretanha. Os laços familiares anglo-americanos eram também muito fortes.Em terceiro lugar, o conflito tomou-se mundial porque os interesses económicos das principais potências espalhavam-se por todo o globo. A Grã-Bretanha construíra no fim do século XIX uma vasta rede de comércio internacional, o que se revelou ser simultaneamente a sua força e o seu ponto vulnerável contra o qual se empenharam os submarinos alemães, mas em vão. O bloqueio do Reino Unido à Alemanha foi mais bem sucedido ao conseguir dificultar seriamente a chegada de fornecimentos vitais.
Fonte: História do Século XX, A I Guerra Mundial 1914-1918, vol. 2, Pub. Alfa.

Experiência de aprendizagem:
1. Tratamento de informação/utilização de fontes

1.1. Lê e analisa o documento escrito.
1.2. Redige um texto em que, partindo do documento, justifiques a mundialização da Grande Guerra.

Actividade retirada do sítio http://www.netprof.pt

3 comentários:

ana rita cardoso disse...

Catastrófica. É esta uma palavra que se pode utilizar para descrever a 1ª Grande Guerra Mundial. O Homem pela sua avareza, a sua vontade de evoluir e de ficar cada vez com o ego maior, por vezes sem dar por isso destrói mortiferamente milhares de vidas. Ao ver o filme sobre a 1ª Guerra Mundial, fiquei impressionada de como o Homem consegue criar armas tão mortíferas, só e apenas para ganhar mais poder, mais ambição.
As cenas que mais me impressionaram foram os bombardeamentos, as mortes dolorosas e a incapacidade do Homem para ver os estragos catastróficos que estava a causar, as famílias que estava a matar, os campos que estava a destruir. Só não compreendo como é que o Homem é o único ser vivo inteligente e capaz de pensar e não consegue perceber que estava a destruir o mundo como esta guerra e vinte anos depois faz uma guerra com maior destruição do que a primeira.
O Homem é consumido pela sua ambição quando quer algo que o prejudica a ele e aos outros a dobrar.

Joana disse...

Eu já tinha ouvido falar da 1ªGuerra Mundial , mas nunca tinha pensado numa guerra tão violenta, tão mortífera. Foi realmente uma surpresa para mim , ninguém consegue imaginar o que aqueles homens sofreram. O que mais me impressionou durante o visionamento do filme foi os bombardeamentos, as mortes de milhares e milhares de pessoas. Como e' que o Homem , o ser vivo mais inteligente, não percebia os estragos que estava a fazer? O sofrimento das famílias, dos homens que lá estiveram... É impossível de entender esta atitude tão ambiciosa do Homem , de vencer. O que me também me tocou foi o comenta´rio de um senhor que contou que um amigo seu pôs as pernas para fora das trincheiras para levar um tiro para regressar a casa, para ao pé da sua família , tal era o seu sofrimento.

catarina disse...

Para mim a 1ºguerra mundial foi aterrorizante. Serviu para hoje em dia “abrir-mos os olhos” sobre o que o Homem é capaz de fazer para alcançar um objectivo, mesmo que isso custe a vida de milhares de pessoas. O que mais me impressionou no filme foi ver as monstruosas armas de guerra: os enormes canhões e as metralhadoras, que eram capazes de matar bastantes pessoas em segundos. Mas acho que o pior era no fim dos bombardeamentos ver o chão coberto de cadáveres. Acho que nunca vão existir palavras para descrever esta ou outra guerra qualquer. O homem quando tem um objectivo, ou fica com cego de tanta ambição e ódio é capaz de tudo mesmo que isso vá influenciar o ambiente á sua volta.